A Literatura de Cordel é uma manifestação literária tradicional da cultura popular brasileira, mais precisamente do interior nordestino.

Os locais onde ela tem grande destaque são os estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Pará, Rio Grande do Norte e Ceará. Por esse motivo, o cordel nordestino é um dos mais destacados no país.

No Brasil, a literatura de Cordel adquiriu força no século XX (20), sobretudo entre 1930 e 1960. Muitos escritores foram influenciados por este estilo, dos quais se destacam: João Cabral de Melo Neto, Ariano Suassuna e Guimarães Rosa.

Em sua origem, muitos poetas vendiam seus trabalhos nas feiras das cidades. Todavia, com o passar do tempo e o advento do rádio e da televisão, sua popularidade foi decaindo.

Dentre os objetivos do trabalho estão permitir o conhecimento e a valorização da cultura, ampliar vocabulário, além de propiciar a leitura e interpretação de texto.

Os folhetos elaborados pelos alunos, foram utilizados para homenagear o papai ou uma outra pessoa importante que cuide deles.

Concomitantemente foi trabalhada também a xilogravura, a técnica responsável pela criação e propagação da literatura de cordel.

Ao escrever e imprimir suas histórias, a xilogravura nordestina e o cordel se tornaram um só elemento e, assim, se transformaram em uma linguagem de expressão, contando e documentando uma história.

Segundo as educadoras Letícia da Silva e Aliny Gomes, houve grande envolvimento das crianças.
Gostaram de conhecer a estrutura de cordel. Já no trabalho relacionado à xilogravura, se empenharam em desenhar nas bandejas de isopor e pintar. No momento de carimbar, as crianças se surpreenderam com o resultado.

 

 

Literatura de Cordel é tema de trabalhos no 4º e 5º anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *